Das coisas de todo dia

– Em breve estarei escrevendo voltarei a escrever [gerundismo de cu é rola] contos. Estou me sentindo novamente impelido à prolixidade que me é tão cara.

– Juliana Alves, mermã, vê logo o Control, estamos em São Paulo e um dia esse coiso vai passar no cinema mesmo. Mas já tá na tua casa, não sei como tu aguentou ignorar esse filme no teu HD desde o carnaval… beijosmeligaassistelogoemedizsevaleapenabaixar

– Não sei se eu disse pra muita gente, mas… [I] tem uma menina super legal morando comigo. O nome dela é Mitzi e ela joga video game e gosta de mangá. É fã do Blade e nós dois estamos planejando um ataque terrorista ao prédio da Conrad. [super mentira isso, mas fazer o que se eles não publicam mais Blade?]

– Não sei se eu disse pra muita gente, mas… [II] vou me entregar ao samba e ao choro. E não vou largar o rock. E vou comprar um cavaquinho. E isso não é mentira.

– Não sei se eu disse pra muita gente, mas… [III] já comecei a me dar presentes de aniversário. E não vou contar o que, pode ficar se mordendo aí que eu digo é porra.

– Vi o novo do Tim Burton, o Sweeney Todd, e devo dizer que, I – é um musical e musicais fedem; II – as pessoas cantam durante o filme inteiro, além de ser um musical, é um musical que ultrapassa qualquer limite do suportável; III – tem sangue pra caralho e a estética mais uma vez arrasa; IV – fiquei doido pra ir à praia depois de ver o filme. Assistam e vocês vão entender tudo isso.

– Vi o novo do Sean Penn, o Into the Wild, com trilha do Eddinho Vedder e estrelando o putinho do Emile Hirsch, que fez o Lords of Dogtown e tudo o mais. Putinho por que pra mim ele merecia um Oscar só pra ele. Quem me conhece sabe que eu dou valor a filmes em que os atores quase morrem pra fazer o papel. Logo, Tom Hanks, Christian Bale e o moleque Emile Hirsch merecem um Oscar “Me fudi pra caralho pra fazer a porra desse filme”. E a trilha sonora do Eddinho é outra covardia. E sabe quando você pode passar a vida inteira negando um problema? E aí você passa duas horas com alguém esfregando isso na sua cara? E aí o problema não pode mais ser ignorado? Sabe? Merda de filme.

– Uma pergunta que cabe nesse momento: o que você faria se tivesse dois dedos na garganta, Edson “fofógrafo” Costa? E você, André Gonçalves? E você, Juliana Alves? Quero saber.

– Outra pergunta: banda de música ligeira?

Anúncios

what subject?

“não tem.

não tem assim um assunto, uma coisa pra escrever. só tava mesmo sentindo falta de falar contigo, de contar das coisas do dia-a-dia daqui, do que não faz mais parte do meu dia-a-dia, das coisas que eu quero fazer, das saudades que eu tenho.

e esse ano de 2008, que eu comecei aqui e ‘sendo’ daqui, me faz pensar muito em como eu estava me sentindo exatamente um ano atrás. o que era supresa agora já é hábito, eu reconheço os caminhos, eu até dirigo sozinho…

eu tenho mesmo é saudade de ficar assim sem fazer nada e fazendo tudo, papo de horas sem dizer coisa nenhuma, morgando o fim do domingo assistindo o último filme desconhecido que tu baixou. sentando no sofá da sala, violão no colo, um dedilhado qualquer.

eu conheci duas meninas tem umas duas semanas, e elas são amigas desde o colégio. são 10 anos de amizade, de dormir uma na casa da outra, escutarem discos, viajarem, essas coisas. e eu vejo nelas duas não um arremedo ou uma referência, mas uma proximidade ao que eu sinto em relação a você mesmo estando tão distante fisico-mentalmente. em saber que eu ainda sei tudo de ti mesmo não tendo notícias tuas há dois meses. eu simplesmente sei quem é você [e como diz o Dr. House MD: ‘nobody changes’] e sei que ainda tenho em ti abrigo pras minhas besteiras, pras cervejas, pras conversas sobre tudo.

é bom, muito bom, saber de você um amigo. reformulo a frase: é bom, muito bom, saber de você um irmão. ‘soulmates never die’, já disse o Placebo, e todos os dias quando eu penso em você com tanto carinho, sei mais ainda da verdade dessa frase. e não há nada que eu não me sinta confortável em contar pra você, e acho que só estar na minha casa me deixa mais seguro do que isso.

provavelmente eu não vá ter resposta desse e-mail, eu nem ligo, por que sei que você é assim, e que é assim que você sabe ser. eu nem ligo por que eu sei que provavelmente tu vai responder esse e-mail na tua cabeça com um ‘eu também’.

te cuida. te amo. saudades.”

My music taste defines me

Me entristece: Miles Davis – Bye Bye Blackbird/Chet Baker – My Funny Valentine

Me alegra: Billie Holiday – Let’s Get the Whole Thing Off/Vampire Weekend – One (Blake’s Got a New Face)/Alphabeat – Into the Jungle

Diz muito sobre mim: The Walkmen – What’s In It For Me/Led Zeppelin – Good Times Bad Times/Led Zeppelin – Friends/Cartola – Preciso me Encontrar/Chico Buarque – Pedaço de Mim/Chico Buarque – Atrás da Porta

Me traz lembranças de um lugar: Babau do Pandeiro – Bebe Água, Galinha/Muse – New Born

Me faz ponderar a vida: Cartola – Preciso me Encontrar/The Walkmen – What’s In It For Me

Não gostaria de ouvir de novo: Pagode

Tocaria no meu casamento: The Beatles – All you need is love [do mesmo jeitinho que é tocada no “Simplesmente Amor”]/Led Zeppelin – Thank You/Led Zeppelin – Going to California

Tocaria no meu funeral: Muse – Micro Cuts/Noel Rosa – Fita Amarela [não tocariam, mas sim tocarão!]

Me faz lembrar dos meus amigos: Led Zeppelin – Good Times Bad Times/The Strokes/Muse

Gostava, mas agora não mais: ???

Admito que eu gosto: ???

Faria tudo para ouví-la num show: Led Zeppelin – Good Times Bad Times

Parece com a minha adolescência: Legião Urbana?

Muitas pessoas gostam, mas eu não: Travis

Muitas pessoas não gostam, mas eu sim: Funk

Gosto da letra: Chico Buarque – Trocando em Miúdos/Ludovic – Um Grande Nó

Tem sempre no meu mp3: Música ¬¬

Tema da vida atual: Chico Buarque – Samba e Amor

É melhor quando tocada no carro: Oasis – Cigarettes & Alcohol

Gostaria de acordar: The Beatles – Good Day Sunshine

Gostaria de dormir: …

Gosto, e meus pais também: Tim Maia/Luiz Gonzaga

É melhor quando está acompanhado: The Rapture – House of Jealous Lovers

Tema de um dos meus filmes favoritos: Simon & Garfunkel – Sounds of Silence [The Graduate]

Me faz pensar no sol: WTF?

Me faz pensar na noite: YYY – Date with the Night

Me faz pensar em sexo: todas dos discos Led Zeppelin I, II, III e IV/Placebo – Pure Morning

Me faz querer estar sozinho: China – Câncer

Me faz sorrir: Bonde do Rolê

Não é do meu “tipo” mas eu gosto: CSS

Faz lembrar do meu amor: Chico Buarque – A Rita

Posso cantar bem: nenhuma

Gosto, mas é só instrumental: Oasis – Fuckin in the Bushes

Me faz lembrar alguém que eu já quis: Led Zeppelin – The Rain Song

Não foi lançada agora, mas adoro: …

Para se cantar bêbado: samba?

Para se dançar bêbado: Deize Tigrona – Sadomasoquista, Unknown Artist – Aula de Ginástica/Klaxons – Atlantis to Interzone

Queria ter a voz de: Robert Plant/Billie Holiday

Queria ter a história de: Bonde do Rolê – Office Boy

Pequeno adendo muy necessário: alguns podem estranhar a falta de algumas canções do The Strokes no meio de toda essa lista. Só para deixar claro: se fosse possível, responderia todas as categorias ao mesmo tempo com um simples THE STROKES!!!, mas quis pagar de indie e sabidão, colocando uns sambas e uns standards de jazz pra colorir a coisa toda no meio de tanto rock. E tenho dito!