Comida

Durante todo esse tempo em que estou aqui em Sampa, me surpreendi com o fato de ter comido muito bem. Na casa das meninas [Special K e Priscila], muito pão integral, coisas legais pra comer, cevada, frutas… enfim… comi até goiaba branca, dessas que não se vê em Teresina há tempos.

No trabalho, com dois dias de labuta, no primeiro comi num bandejão modesto, de preço interessante, ontem, a editora do Boa Vida, da parte de gastronomia da VIP me chamou pra comer no Bandejão da Abril. Comida boa, rodelas de cebola empanadas, uma coisa maravilhosa. E o arroz integral!? Nossa mãe!

Mas o ponto não é exatamente esse. O ponto é que ontem, depois de atualizar o site do Medplan eu fiquei com vontade de comer umas esfihas [é com H, né?], e como nessa cidade tudo é 24h open, estava tudo muito bem. Só que Igor Pancadão Bento queria muito ir ao McDonald´s. Fomos… e eu ingeri coisa de 3.600 calorias às 02h30 da manhã…

Pra quem achava que já estava perdendo algum peso, foi uma tragédia, hã?

Anúncios

Meu trabalho, minha sanidade

Pra começar, vou rasgar logo de cara, assim, sem nem pensar duas vezes, que eu sentei do lado da Cuca da VIP, que responde as perguntas sobre saúde e sexo. Pra mim não é grande coisa, não faço grande caso, embora ela seja mesmo muito bonita. E doida! Disse que o sonho dela é andar numa maca com um protetor cervical no pescoço… 😛 E eu achando que conhecia gente doida.

Bom… as duas ocupações que eu tenho que desenvolver nesse período de um mês, inicialmente, são bem simples.

Numa lista de 175 nomes, eu tenho que procurar e-mail, telefone e entrar em contato com a maioria deles para convidá-los a fazer parte de uma pesquisa que a VIP está desenvolvendo. Detalhe: esses nomes estão espalhados pelo Brasil inteiro.

Noutra ocupação, tenho que catalogar bares legais [legais no estilo VIP] de todo o Brasil, pelo menos um de cada capital e cidade com mais de 400 mil habitantes. Estou ralando também. Bastante, inclusive. Se você souber, no entanto, de um bar diferente e muito legal, manda a dica pra mim, por favor!

Das andanças, ônibus e carona

Alguém por acaso percebeu a minha total falta de tempo para atualizar o blog e o flog?

Pois zé… nada mais justo, já que eu não me acostumei ainda com as dinâmicas daqui. Agora aproveito o horário da VIP que é estranhíssimo [das 10h30 às 20h] para escrever umas parcas impressões do que estão sendo meus dias.

Difícil dizer o que eu mais gostei do meu primeiro dia na VIP. Como eu cheguei MUITO cedo, às 07h30, pude ver todo mundo chegar, inclusive a galera que fica nas recepções [o esquema de segurança é mutcho loco… já paguei de capial milhões… :P].

Chegar cedo me fez ver a chuva caindo devagar, caindo com vento, caindo um pouco mais forte, o sol abrindo um pouco… nada de muito novo, óbvio. A chuva faz isso desde muito tempo, mas me parecia uma coisa totalmente nova, por que eu sentia f-r-i-o! É… estranho pensar nisso, já que o mais próximo dessa sensação que eu estive foi nas tardes em que os dois aparelhos de ar condicionado do MEDPLAN ficaram ligados…

Chegar cedo também me fez ser confundido com a galera que chegou para o Curso Abril de Jornalismo, que iniciou no mesmo dia do meu estágio [trainee]. Não me senti muito bem, mas dane-se, eu tô na VIP.

Então, foi muita espera, joelho doendo de ficar em pé, quando finalmente pude subir. Playboy, VIP e Men´s Health estão no mesmo andar, e quase na mesma big sala. Encontrei o Edson Rossi, editor da VIP e assim foi conversa, explicação, apresentações, gente legal, meio receptiva, educada, até… Um luxo, já que todas as idéias que me fizeram ter era de que eu seria massacrado [embora, na descida pro almoço, uma pessoa tenha dito que fazia uma brincadeira na redação, dizendo que eu era da Piauí… quem me dera! :D].

Agora espere o próximo post para saber como é meu trabalho.

Sono

Descobri por que em Teresina eu não fazia questão de dormir… como lá é o lugar mais próximo do inferno Equador, o calor é insuportável. Aqui está putamente e lindamente nublado e eu poderia dormir o resto da vida, se não estivesse quase atrasado pra VIP. FUI!

Começo do recomeço

ou sessão diarinho  

Vamos por partes.

Sai de Teresina 25 minutos antes do horário previsto. O AVIÃO ADIANTOU!

Eu, que nunca tinha visto isso, deixei mil e uma pessoas na mão, sem despedida. Acontece.

Quem tava lá desejou sorte pra duas vidas inteiras e foi muito muito muito bom sentir todo esse apoio.

Obrigado a todos que quiseram ter chegado a tempo, os que ligaram, os que, enfim. Obrigado a todos.

Entrei no avião, agonia de subir e o avião não explodir, chegamos em Fortaleza em 47 minutos. Logo depois, coisa de 3 horinhas e um bucadinho, chegamos em Sampa. Ou melhor, cheguei.

Mudei de aeroporto, peguei um táxi e logo [uma hora e meia é pouco aqui, sabiam? ow saudade do Amarelão!] estava na Rua Pelotas, XXX, apê XX, com minha amiga Karine, tomando uma cerveja que me surpreende, uma moça chamada Itaipava [que anuncia naquela revista da Editora Abril, a Vip!]

Cerveja boa, amarga, ‘fraca’, mas legal. Descemos, para ir à Paulista.

Comprei uma carteira de Malboro e assim seguimos, caminhando pela Vila Mariana, que é um bairro hiper-foda! Tem de tudo de mais legal. Árvores, ruas estreitas, de calçamento, casinhas com varandinha e quintalzinho. FODA!

Não precisei de jaqueta e já aprendi: para a Paulista, pegue o Vila Gomes. E a Paulista é foda. Pra ter uma idéia [momento capial] tem DUAS CAIXAS ECONÔMICAS!!!!! Nunca vi tanta fartura de Caixa Econômica num lugar só…

E é porque a Paulista é como se fosse a Frei Serafim meio crescidinha… 😛

Vi emos, rappers, skaters, e toda a fauna possível e imaginável. Melhor que isso só a Picadilly Circus.

Como diz minha amiga Karine, São Paulo arrasa.

***

Mas como a saudade arrasa também, queria muito que você todos estivessem aqui. Sim, você, você e até você. A cidade é foda, o clima é foda, os lugares que eu já vi são fodas, não resisti a levantar a cabeça e cegar tentando ver o topo dos prédios… São altos, são fodas, a galera anda de terno na rua e não fica pigando suor. Aqui é lindo. Foda mermo.

O clima me conquistou e isso já ajuda pracaralho. Acho que as coisas vão ser boas por aqui.

Ou como diz a Samantha CB, ‘vai dar tudo certo, sim! Eu sei!’

Mais tarde, fotos, texto maior, mais coisas… sei lá… quem quiser saber alguma coisa pergunte. Não sou bom de contar as coisas assim não. 🙂