Eu blogo tu blogas ELA bloga?

Posso contar nos dedos da mão do Lula que só tem quatro dedos quantas vezes essa criatura entrou no MSN e passou mais de cinco minutos por ali, de papo pro ar. Virou até motivo de piada interna: “vou saindo aqui senão o povo vai pensar que eu estou me tornando sociável”.

 

morram de inveja da heineken de 600ml!!!

Ela é autora das tiradas mais irônicas, rendendo até uma rápida constatação do nosso amigo Rafael Campos sobre os comentários dela, nos tempos em que a tchurma abraçava o Fotolog e chamava de meu amor: “A Luana passa a noite todinha pensando no que ela vai comentar nos fotologs do povo no dia seguinte”, originando a velha desculpa de ir embora cedo pra casa e sair daquela vibe de integração e folia que o azedume charmoso dela não curtiam muito [mentira!]: “minha gente, eu vou pra casa, sabe como é, tenho que pensar nos comentários das fotos do povo de amanhã”.

Ela mesma possuiu um fotolog e, vejam só, expunha uma verve Harold Bloom finérrima, com comentários super interessantes sobre literatura. O projeto foi placidamente abandonado depois de um tempo, claro.

Orkut talvez fosse a ferramenta que ela mais usasse, naquela troca de scraps febris contando a baixaria da noite passada, falando mal veladamente dos nossos desafetinhos e mandando aquele abraço de saudade.

Quando no último domingo eu encontrei com ela aqui em Sampa, enquanto ela esperava o horário da conexão pra Londres, Luana inclusive já falava da angústia de ter que se render à tecnologia para se comunicar, mais especificamente ao MSN.

Qual não foi a minha mais empolgante surpresa ao abrir meu scrapbook hoje pela manhã e dar de cara com uma mensagem dela com o link para o Incenso Fosse Música… Um blog, Luana Maria!?

De repente, não só MSN, Orkut, mas também um blog. A ironia, a inteligência e o quê de baixa que compete aos membros do BFC estão lá. Mal posso esperar pelos próximos posts.

 

UPDATE  

Minha memória realmente tem me traído. Como bem me lembraram Juba e Clarissa nos comentários, Luana Maria Medeiros realmente já teve um blog, nos mais perdidos tempos em que o Uol ainda bombava como servidor de diarinhos virtuais. O endereço fica perdido, mas me lembro das resmungações apetitosas que ela jogava por lá, inclusive desabafos sobre o assédio que o Rei Negão recebia à época… [isso se eu não tiver confundido tudo de novo… :P]

Anúncios

Sobre aqui ser assim

Ontem fez frio. Amanheceu nublado, um tempo de outono bonitinho, mas um tico mais frio. A coberta resolveu isso até a hora do almoço. Colocar a cara pra fora de casa, comprar coisas, fazer o almoço, aquele conversa toda. Filme e sono, sair pra rua encontrar a amiga que está me matando de inveja vai embora. Cerveja da boa, da verdinha, gelada, vento frio, arrependimento de sair de bermuda, ida pra casa de ônibus, vendo a noite, as coisas acontecendo, as pessoas nas paradas, descer, caminhar, subir ladeira, comprar um sonho, aquela coisa toda que fecha um fim de semana tranqüilo.

Dormir num lugar e acordar em outro não é esse caso, mas quando você dorme com sensação térmica de 14ºC e acorda com sol e calorzinho que não precisa nem ligar o chuveiro elétrico é o tipo de coisa que põe seu corpo maluco. Nem é quente, nem é frio, o corpo reclama, a garganta amanhece fechada, o nariz vai dormir entupido.

Aí você deseja um casaco quentinho [se bem que a camisa de flanela, além do ar “sou grunge, fã do nirvana e fazia chapinha no cabelo pra ele ficar super liso”, caiu muito bem], um cachecol bem colorido que quebre o cinza da cidade acentuado pela pouca luz da noite chegando, ou uma calça de moletom vagabundo esperando quando chegar em casa, ou uma manta que esquente em frações de nano segundo… todas essas maravilhas que tiram o foco de que não importa muito o frio ou o calor [que pede regatas, sucos e saladas], importa o que você carrega dentro de si. E isso é o que realmente importa, seja no calor eterno de Teresina ou no clima indeciso de Sampa.

“For peace of mind and happiness”…