Das coisas de todo dia

– Em breve estarei escrevendo voltarei a escrever [gerundismo de cu é rola] contos. Estou me sentindo novamente impelido à prolixidade que me é tão cara.

– Juliana Alves, mermã, vê logo o Control, estamos em São Paulo e um dia esse coiso vai passar no cinema mesmo. Mas já tá na tua casa, não sei como tu aguentou ignorar esse filme no teu HD desde o carnaval… beijosmeligaassistelogoemedizsevaleapenabaixar

– Não sei se eu disse pra muita gente, mas… [I] tem uma menina super legal morando comigo. O nome dela é Mitzi e ela joga video game e gosta de mangá. É fã do Blade e nós dois estamos planejando um ataque terrorista ao prédio da Conrad. [super mentira isso, mas fazer o que se eles não publicam mais Blade?]

– Não sei se eu disse pra muita gente, mas… [II] vou me entregar ao samba e ao choro. E não vou largar o rock. E vou comprar um cavaquinho. E isso não é mentira.

– Não sei se eu disse pra muita gente, mas… [III] já comecei a me dar presentes de aniversário. E não vou contar o que, pode ficar se mordendo aí que eu digo é porra.

– Vi o novo do Tim Burton, o Sweeney Todd, e devo dizer que, I – é um musical e musicais fedem; II – as pessoas cantam durante o filme inteiro, além de ser um musical, é um musical que ultrapassa qualquer limite do suportável; III – tem sangue pra caralho e a estética mais uma vez arrasa; IV – fiquei doido pra ir à praia depois de ver o filme. Assistam e vocês vão entender tudo isso.

– Vi o novo do Sean Penn, o Into the Wild, com trilha do Eddinho Vedder e estrelando o putinho do Emile Hirsch, que fez o Lords of Dogtown e tudo o mais. Putinho por que pra mim ele merecia um Oscar só pra ele. Quem me conhece sabe que eu dou valor a filmes em que os atores quase morrem pra fazer o papel. Logo, Tom Hanks, Christian Bale e o moleque Emile Hirsch merecem um Oscar “Me fudi pra caralho pra fazer a porra desse filme”. E a trilha sonora do Eddinho é outra covardia. E sabe quando você pode passar a vida inteira negando um problema? E aí você passa duas horas com alguém esfregando isso na sua cara? E aí o problema não pode mais ser ignorado? Sabe? Merda de filme.

– Uma pergunta que cabe nesse momento: o que você faria se tivesse dois dedos na garganta, Edson “fofógrafo” Costa? E você, André Gonçalves? E você, Juliana Alves? Quero saber.

– Outra pergunta: banda de música ligeira?

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s