ela sempre tem as palavras certas.

vai dar varios bichos, vários grilos, mas a gente vai superar todos.
falar o que se pensa e sente é difícil. há de se escolher bem as palavras para ser transparente, não perverso. temperar a verdade, os sentimentos confusos, as muitas dúvidas, com o todo o amor do mundo. é mesmo jogar o outro num labirinto mas não esquecer de oferecer o fio de ariadne. e assistir, dolorido e feliz, a pessoa reencontrando você.

Anúncios

“Never hear the bad news”

Oh, I’m just like you, I never hear the bad news – and I never will. We won by a landslide, our troubles are over.
[The WalkmenIn The New Year, in You & Me (2008)]

Só mais um passo, mais um dos passos longos – esse ligeiramente maior que as pernas, mas insuficientemente grande para apagar a satisfação do momento.

Repete-se que a comunicação ocorre quando os lados de um diálogo se entendem. Pois que o não seja entendido como algo que diminua, algo que incuta descaso. O mora nesta fala para deixar claro que o que importa, mesmo, por mais incríveis que sejam os passos, é a caminhada.

Você concorda comigo que os defeitos do todo ficam muito mais expostos quando se enxerga esse todo em pedaços, não é? Mora aí o sentido: só mais um passo, um dos mais arriscados, um dos mais longos.

Ainda há uma caminhada inteira pela frente.

~ publicado originalmente em 2009 ~