“Vocês não estão entendendo nada!”

As imagens falam por si, as declarações complementam o que as imagens não dão conta e o o “well” de Caetano ao fim do vídeo é o denominador comum mais interessante e inescapável do que foi a Tropicália: um movimento de vanguarda, incompreendido, que “tomou de assalto” a cultura brasileira e se fartou com tudo que quis e cuspiu sem cerimônia o que não lhe interessava.

Desde já muito ansioso pelo resultado final e, como bom piauiense, curioso por saber como vão tratar Torquato Neto no meio de todo esse resgate histórico.

“Como é perversa a juventude do meu coração”

No apartamento, oitavo andar, abro a vidraça e grito, grito quando o carro passa: teu infinito sou eu, sou eu, sou eu, sou eu
[BelchiorParalelas, in Coração Selvagem (1977)]

Sou feito das caminhadas na noite, da correria para chegar em casa, da comida arriscada, do silêncio, do vazio, do absorto e do absurdo.

Muita gente interpreta mal a solidão, acha que é coisa de gente depressiva, de quem não tem amigos ou de quem carrega consigo um estigma – o da timidez. Mas todos, até os tímidos, teriam por quem gritar da janela do oitavo andar, se auto-proclamando infinito do gritado.

Mas se gritam, arriscam o solitário silêncio. Isso é o de menos, considerando que o silêncio, o grito, a multidão e a solidão estiveram e estarão por tempo suficiente dentro de você.

~ publicado originalmente em 2009 ~