“Pode conter erros de digityavcaão”

Durante muitos anos fui usuário de celulares Nokia. Foram sempre aparelhos que me ofereceram boa durabilidade, interface, eram celulares organizados e divrtidos, funcionais.


Talvez seja difícil acreditar, mas eu estou falando de uma marca. Cuidado, atenção… Não é uma critica e nunca poderia se-lo e é por isso que meu espanto tem mais a ver com comportamento. Nós somos a geração que se relaciona com virais, comerciais de TV e anúncios impressos…

Stempre fui um cliente satisfeito, até a compra de um aparelho que apresentou defeito logo na primeira semana de uso. Problemas com a Nokia e a assistência me renderam uma dor de cabeça a la Procon e com a grana que recebi, traí a tradição e me rendi aos encantos de outra marca. Quando retomei a tradição, tive mais dois celulares Nokia – incluindo o último, um E63.

Foi meu segundo slmartphone, depois da péssima experiência com o Blackberry e a Tim. podia fazer quase de tudo, desde que uma boa alma houvesse programado para Symbian. Ter o Whatsapp foi uma benção agradecida muitas vezes substituindo o silêncio usando pra lembrar do saldo dos créditos e decidindo se podia mandar ou não mais um Sms ou se corria o risco de ficar sem comunicação até chegar ao próximo compuatdor ou caixa eletrônico para uma recarga. No mais, era possível ver meus emails, ouvir músicas no youtube, sacar alguns sites, tirar e enviar fotografias, acessar facebook e twitter… Eram muitas as limitações, mas muito mais por desconhecimento do quanto era possível fazer.

A relação foi estável e tranqüila até a visao da grama vizinha.

Áqui em casa a gente costuma ter umas conversas malucas, coisas que sei lá se passam pela cabeça das outras pessoas. Então vamos lá, uma história dentro da história. Uma vez assistindo Star Wars, reparamos que nenhuma das interfaces usadas é touch e nos perguntamos: como pode ter tanta tecnologia e não ter sugerido o passo adiante? mentira, a pergunta não foi essa. perguntamos: qual será a próxima tecnologia depois do touch? (e no fim você repara, as duas são muito parecidas.)

É essa que temos agora. É o que tem pra hoje. No fim do anos passado, demos um passo adiante e passamos a usar dois celulares touch. Desistimos da resistencia à zero integracao do sistema operacional do nosso antigo celular ao fluxo da correte. Por quê? Porque era chato: meus amigos com iOs ou Android poderiam acesssarp sua conta bancaria u coisa oarecida e eu simplesmente nao podia. O obvio é que eu deveria sentir falta do starus, mas era a experiência que me interessava mais.

A diferença foi gritante. Tudo era mias difícil de fazer. Era mais fácil também, mas muitos dos botões usados não existiam, e movimentos diferentes faziam coisas diferentes… Ao redor disso, era – é – de longe a experiência mais impactante que tenho com tecnologia. Talvez o N64 da preadolescencia, com aquele controle totalmente diferente de tudo, se compare a reambientaçao que foi passar a usar o touch e saber usar o touch.

Isso nem de longe quer dizer que seja uma experiência prazerosa o tempo inteiro. Este texto, por exemplo: tirando as sugestões absurdas do corretor do aplicativo do iPad, estou deixando quase tudo do jeito que consegui digitar.

Sim, porque esse é um grande problema: você não sente as teclas, vocè não sente nada. Nosso celular tem m modo que o faz vibrar sempre que digitado. Foi uma boa saída, me dava a possibilidade de aumentar a minha sensação tátil e até ajudava a diminuir oss erros, mas quando m amigo comentou do gasto de bateria envolvido, preferi deixar de lado e diminui severamente a resposa ao toque.

E porque estou deixando o texto como sai? Porque usar o tátil é dedicar mais tempo corrigindo o que se digita do que efetivamente digitando. Boa parte do que acontece junto com essa péssima experiência é bom, é até ótimo, mas chega a ser angustianmte não haver uma boa resposta no básico, que é a digitação. Se compararmos com meu antigo E63, com teclado qwerty emborrachadinho, então….

Qual experiência vai ganhar? Nâo precisa responder…

Anúncios

2 respostas em ““Pode conter erros de digityavcaão”

  1. Sou novo no iPad também e minha experiência não está sendo tão ruim. Já não é tão chata quanto escrever no tecladinho do BlackBerry.

    Nos primeiros dias, o dicionário interno do iOS revela-se terrivelmente limitado e frequentemente atrapalha seu fluxo de pensamento ao escrever. Mas ele cessa de teimar em apresentar correções erradas assim que você insiste em digitar a palavra pretendida. Essa adaptabilidade do sistema é uma característica crucial que deveria ser enfatizada para os novatos, pois muita gente nem sabe que existe, e significa que não será necessário sofrer igual a vida toda com o autocorretor. Ainda assim, o teclado virtual é muito mais adequado que a tentativa de reconhecimento de escrita com caneta que a Apple tentou nos impingir com o Newton em 1993 – essa sim, verdadeiramente frustrante e ridícula.

    DICA muito importante: vá às preferências do iPad, seção geral, subseção teclado, e programe um bom número de atalhos para palavras técnicas, siglas, frases etc.

    Outra dica, para quando está escrevendo: assim que o iOS sugere uma palavra completa correta, você já pode bater espaço e ir para a próxima, poupando tempo precioso com palavras longas.

  2. O meu é um Galaxy S II e o que incomoda são os acentos e ç, pois tem q pressionar a letra por alguns segundos e depois escolher a opção… isso todas as vezes q for acentuar… Por isso eu acabo escrevendo tudo sem acento e sem ç.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s