Das pausas para ter inveja

Uma das maiores saudades que sinto do tempo em que fumava é da famosa pausa para o cigarro. Não do cigarro da volta do almoço, nem o que acompanhava a madrugada solitária na varanda [embora esse fosse realmente muito bom]. O cigarro que mais me faz falta é aquele que ficava estrategicamente guardado para o momento em que o dia perdia horas de vida pessoal e ganhava mais horas de trabalho. “Hoje vai longe? Tá bom, então. Me dá cinco minutinhos que eu já volto”.

Aí era o tempo de pegar um cigarro no bolso, buscar uma cerveja na geladeira da empresa, sentar no varandão e ficar vendo os aviões descendo o corredor até Congonhas, ou encostar no parapeito e ficar vendo a Nove de Julho se acabar em trânsito. Estávamos no 11º andar e só tínhamos essas duas vistas. Era o suficiente para acalmar a cabeça, bater um papo com quem estivesse por ali e depois voltar para dentro da sala e tocar o trabalho até a hora que fosse.

Hoje, trabalho no 9º andar do Conjunto Nacional, na pontinha da avenida Paulista e embora o ritmo de trabalho seja outro, as pausas durante o dia seguem necessárias. Sem cigarro, claro. Agora é pausa pra esperar a garrafinha de água encher. E enquanto se espera, a mente divaga, de janela em janela dos prédios que ficam voltados para a copa do escritório. No pico das 16h dá para ver apartamentos com gente vendo TV, gente ao computador, gente fumando na janela e gente dormindo. Só o que não se vê é gente nas piscinas que, aqui e acolá, pintam de azul as coberturas vizinhas. Há dois meses [até menos, vai], era compreensível as águas paradas, abandonadas. Fazia frio, ventava gelado… Mas nas pausas da garrafinha de água eu sempre pensava: sendo eu em casa a essa hora, estaria na piscina, por favor. Garrafa cheia, pensamentos cortados, vida segue.

Só que agora o verão chegou. O verão, aquele verão que eu louvava em 2009, falando das roupas das meninas, dos inhos e inhas. Não é possível dar poucos passos pelas calçadas de Sampa durante os dias comerciais sem desejar voltar para o ar-condicionado do escritório o mais rápido possível. Começou o festival de roupa curta, decote, shortinho? Sim. Beber dois litros de água gelada por turno vale o preço? Sei não.

E de cara eu não tenho “direito” de reclamar. Nasci em Teresina, cidade que, esta semana, passeia entre os 35° de hoje e os 38° de sexta feira, e vai repetindo este ciclo praticamente todos os dias do ano. Fui criado dentro de um cenário muito mais aflitivo e aterrorizante. Não são poucos os dias em que batemos 40° entre o 12h e 14h. Meu couro é grosso para essas coisas. Mas se tem uma verdade muito verdadeira do serumano é que a gente se acostuma ao que é bom. Lembro do fascínio que me tomou a visão dos engravatados do Banco Safra, na mesma Paulista, saindo para o almoço de terno, gravata e o escambau em pleno janeiro de 2007, sem sofrimento algum. Em Teresina, essa cena seria impossível. Tinha um professor na universidade que gostava de dizer que “Teresina não é tão quente assim, é exagero. Aqui nós também temos ar-condicionado, sabia?”. Até aí…

Agora que minha garrafa de água já secou de novo, tenho mais uma daquelas pausas pela frente: será se vou me deparar com as piscinas vazias? Por favor, não me torturem mais, vizinhos…

Anúncios

3 respostas em “Das pausas para ter inveja

  1. Jansen, provavelmente uma das coisas mais interessantes que já li de vc, não não a mais bonita, mas sim a mais real a mais complexa e ao mesmo tempo tão simples, incrivel como vc me traduz quando escreve viu… não sou habitue do cigarro porem minhas pausas para o cafezinho era constantes e fazia o mesmo olhando pra selva de pedra, agora já no interior mudei alguns hábitos, ja me dou ao luxo de em vez de almoçar aproveitar a pscina é vc tem razão é um desperdício…..bjos e quero mais..

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s