Descobri o que era a pustaria com minhas senhas

Na segunda feira fui à copa do trabalho para encher minha garrafa de água, tomar um café e invejar os vizinhos que leêm o jornal e veêm tv às 11h calmamente em casa e quando retornei à minha mesa, minha conta to Twitter havia deslogado.

Estranho. Vamos lá, jogar a senha: **********//”WRONG LOGIN/PASSWORD”. Gelei. Ok, de novo, vamos lá: **********//”WRONG LOGIN/PASSWORD”. Por fim, mantive a calma, resetei a senha e ninguém se machucou. Aí foi trabalho até a hora do almoço.

Quando voltei para a minha mesa… era a minha conta de GMail que aparecia deslogada. Terror. Tento entrar com a minha senha e o Google me leva para uma página em que me diz que atividades estranhas na minha conta foram identificadas e que vou precisar confirmar minha senha. Cacete. O bicho da paranóia começava a me rondar. “Tem alguém querendo invadir minhas contas? Quem? Atrás do que? Mas não tem nada de interessante lá!” e por aí afora. Mudei a senha do GMail e voltei a me sentir “seguro”, nada mais caiu durante o dia [tudo indicando que o ataque não seria insistente].

A agonia veio mesmo na terça. Cai no meu email uma mensagem do LinkedIn dizendo… “Para que possamos oferecer-lhe a melhor experiência LinkedIn, monitoramos nosso site constantemente e levamos a segurança de suas informações muito a sério. Recentemente, desabilitamos a sua conta por motivos de segurança. Para redefinir sua senha, siga estes passos…”

Desespero total e absoluto. Tinha alguém realmente querendo me invadir!

Dividi a paranóia com amigos, transformei minhas senhas em puzzles dignos do melhor episódio de Zelda ou MGS, passei o dia pensando a respeito…

Com tanta falação – desculpe se sou prolixo – acho que dei a entender que tenho realmente o que esconder nessas contas. Mas não, não tenho. São meus emails, meus tweets e meus contatos profissionais. Só. Nada comprometedor, nenhuma traição, nenhum vazamento de documentos secretos do meu trabalho, nenhuma DM inexpicável. São só as minhas coisas, meus logins, a dor de cabeça de perder essas contas e ter que recomeçar tudo de novo, explicar pras pessoas que fui invadido…

Todo esse desconforto durou até ontem à noite. Cai na minha inbox a seguinte mensagem: Privacy Notice for Your LinkedIn Account. Pensei imediatamente: TÃO QUERENDO ME SACANEAR, NÉ? Aí fui ler o texto. Falava do email enviado mais cedo, orientando à mudança de senha [esse que eu citei aí em cima], provocado pela “security breach on a different site, Gawker.com, where a number of usernames and passwords were exposed. We want to make sure those leaked emails and passwords were not being used to attack any LinkedIn members”.

Então era isso. Aquele tal bafafá do Gawker, que todo mundo tirou sarro por ter uma pá de senhas bem ridículas [o próprio Gawker fez troça]. Legal. Bonito. Ok. A Forbes postou uma nota ontem falando da iniciativa do LinkedIn de avisar seus usuários sobre o problema e por mais que eu nem saiba se era REALMENTE isso que tava acontecendo com as minhas senhas [e agora já me convenci que era...], estou bem, bem feliz de não ser idiota ao ponto de usar “cheese” como senha.

No fim, é só isso: tudo que a gente não quer é ser o mais idiota da roda.